AB Editora

best free magento theme

Pular para conteúdo principal »

Site de busca

Seu carrinho está vazio.

Você está agora em:

Sumário - Manual do Técnico em Enfermagem

9.ª Edição | 2010 | Revista, Atualizada e Ampliada

Primeira parte - Administração hospitalar

Capítulo I
O hospital
1. Hospital
1.1. Histórico dos hospitais
1.2. Funções do hospital
1.3. Classificação de hospitais
Capítulo II
Organização e funcionamento do hospital
1. A estrutura organizacional do hospital
2. Ambiente hospitalar
Capítulo III
Introdução à administração em Enfermagem
1. Conceito
2. Teorias e princípios administrativos
3. Relacionamento interprofissional
4. O Serviço de Enfermagem
4.1. Objetivo
4.2. Estrutura e organização do serviço de Enfermagem
4.3. Composição da equipe de Enfermagem
4.4. O trabalho de equipe
4.5. Atividades do pessoal de Enfermagem
Capítulo IV
Organização e funcionamento da unidade de Enfermagem ou unidade de internação
1. Unidade de Enfermagem ou unidade de internação
1.1. Conceito
1.2. Características físicas
1.3. Distribuição de pacientes por leitos ou lotação da unidade
1.4. Recursos humanos
1.5. Recursos materiais, equipamentos, medicação e roupas
2. Unidade de emergência
2.1. Conceito
2.2. Localização
2.3. Características físicas
3. Unidade de ortopedia
3.1. Conceito
3.2. Características físicas
4. Centro obstétrico
4.1. Conceito
4.2. Características físicas
5. Unidade de berçário
5.1. Conceito
5.2. Localização
5.3. Características físicas
5.4. Recursos humanos
6. Unidade de centro cirúrgico – centro obstétrico
6.1. Conceito
6.2. Localização
6.3. Características físicas
6.4. Recursos humanos
6.5. Recursos materiais
7. Central de material esterilizado (CME)
7.1. Localização
7.2. Características físicas
8. Unidade de ambulatório (ou unidade de pacientes externos)
8.1. Conceito
8.2. Características físicas
9. Responsabilidade do Técnico em Enfermagem na função de responsável de unidade e do pessoal auxiliar
10. O Técnico em Enfermagem em relação aos controles utilizados pela Enfermagem
10.1. Infecção hospitalar
10.2. Sistema de controle de medicamento
10.3. Sistema de controle de roupa
10.4. Sistema de controle de material e equipamentos
Capítulo V
Anotações de Enfermagem
1. Anotações de Enfermagem
2. Importância das anotações de Enfermagem
3. Terminologia hospitalar
4. Elementos e unidades do hospital

Segunda parte - Introdução à Enfermagem

Capítulo I
Enfermagem
1. Conceito
2. Evolução da Enfermagem
2.1. Fase primitiva (1.ª fase)
2.2. Fase evolutiva ou idade “Florence” (2.ª fase)
2.3. Fase de aprimoramento (3.ª fase)
2.4. Relacionamento Enfermagem/paciente
2.5. Fatores de segurança e conforto
3. Prevenção de acidentes
3.1. Tipos de acidentes
3.1.1. Acidentes mecânicos
3.1.2. Acidentes causados por agentes físicos
3.1.3. Acidentes causados por substâncias químicas
Capítulo II
O paciente hospitalizado
1. Noções gerais
2. Prontuário: impressos gerais, registros e comunicações
3. Observação de sinais e sintomas
4. Admissão, alta, transferência e óbito
4.1. Admissão
4.2. Alta
4.3. Transferência
4.4. Óbito
5. Sinais vitais
5.1. Temperatura corporal
5.2. Pulso
5.3. Respiração
5.4. Pressão arterial
6. Peso e estatura
7. Posições para exames
8. Assistência de Enfermagem ao exame físico
9. Técnica de coleta de espécime para exames complementares
9.1. Urina tipo I, EAS rotina e uranálise
9.2. Urina de 24 horas
9.3. Urocultura
9.4. Fezes
9.5. Escarro
9.6. Sangue
9.7. Lavado gástrico
Capítulo III
A assistência de Enfermagem no atendimento às necessidades do paciente
1. Preparo da unidade do paciente
1.1. Limpeza geral da unidade do paciente
1.2. Limpeza diária ou concorrente
2. Atendimento das necessidades básicas do paciente
3. Medidas para o conforto do paciente
4. Arrumação da cama
4.1. Tipos de cama
5. Mobilização
5.1. Tipos de movimentos
5.2. Úlcera por pressão
Capítulo IV
Movimentação e transporte do paciente acamado
1. Noção geral
2. Mecânica corporal
3. Mudança de decúbito
4. Transportar o paciente do leito para a maca e vice-versa
5. Pegar o paciente do chão
6. Transporte para cadeira de rodas
7. Transporte da cadeira para o leito
8. Posição de conforto e segurança
8.1. Meios para proporcionar conforto físico
9. Restrição dos movimentos
Capítulo V
Higiene corporal
1. Higiene oral
2. Higiene oral de pacientes inconscientes, com dependência total da Enfermagem
3. Banhos de aspersão e banhos no leito
4. Lavagem dos cabelos ou “xampu”
5. Tratamento de pediculose
6. Remoção das lêndeas
Capítulo VI
Controle hídrico do paciente
1. Noções gerais
Capítulo VII
O paciente com necessidades nutricionais
1. Noções gerais
2. Sondagem nasogástrica (SNG)
3. Alimentação por sondagem nasogástrica ou gavagem
Capítulo VIII
Administração de medicamentos
1. Conceito
2. Fontes das drogas
3. Drogas sintéticas
4. Dosagem
4.1. Classificação
5. Administração de medicamentos por via oral
5.1. Cuidados gerais no preparo e na administração de medicamentos
5.2. Outras regras e instruções para a ministração de medicamentos
6. Via sublingual
7. Administração de medicamento por via retal
8. Administração de medicamento por via nasal
9. Administração de medicamento por via parenteral
9.1. Via intramuscular (IM)
9.2. Via subcutânea ou hipodérmica (SC)
9.3. Injeção intradérmica (ID)
9.4. Via endovenosa (EV)
10. Venóclise
11. Dosagens de soluções
12. Tratamento por meio das vias respiratórias – inalação, nebulização e oxigenoterapia
12.1. Inalação
12.2. Nebulização ou aerossolterapia
12.3. Oxigenoterapia
13. Instilação
13.1. Instilação ocular
13.2. Instilação nasal
13.3. Instilação auricular
Capítulo IX
Tratamentos diversos
1. Aplicações quentes e frias
1.1. Aplicação do calor
1.1.1. Aplicação do calor seco
1.1.2. Aplicação do calor úmido
1.2. Aplicações frias
1.2.1. Finalidade
2. Cateterismo vesical
2.1. Cateterismo simples ou de alívio
2.2. Lavagem vesical
3. Lavagem intestinal (enteróclise)
4. Clister ou enema
5. Lavagem gástrica
Capítulo X
Assistência de Enfermagem aos pacientes portadores de feridas
1. Feridas
2. Classificação das feridas
3. Tipos de cicatrização
4. Fatores que afetam a cicatrização normal
5. Soluções
6. Princípios científicos relacionados a um curativo
7. Curativo
8. Tipos de curativos
9. Retirada de pontos
10. Bandagem
10.1. Tipos de bandagens
11. Assistência de Enfermagem aos pacientes graves e agonizantes
12. Técnica do preparo do corpo após a morte

Terceira parte - Ética e psicologia aplicadas à Enfermagem

Capítulo I
Psicologia – relações humanas – personalidade – aparelho psíquico
1. Psicologia
1.1. Noções gerais
2. Relações humanas
2.1. Noção geral
3. Personalidade
4. Aparelho psíquico
Capítulo II
Planos de manifestações mentais, mecanismos de defesa, sensação e percepção
1. Planos de manifestações mentais
2. Mecanismos de defesa
3. Sensação e percepção
Capítulo III
Períodos do desenvolvimento humano
1. Noções gerais
2. Relações humanas
2.1. O profissional de Enfermagem
Capítulo IV
Ética profissional
1. Conceito
2. Noção geral
3. O homem
3.1. A vida
3.2. A saúde
3.3. O fim da vida
4. Aborto
4.1. Julgamento ético
5. Eutanásia
6. Objetivos da Ética
7. A Ética no âmbito das relações sociais
8. Divórcio entre ciência e moral
9. Considerações
10. Os atos humanos
11. Lei moral
12. Consciência moral
13. O homem enquanto indivíduo social
14. Aspecto da condição humana
15. Planejamento familiar
16. O trabalho na sociedade
16.1. Sindicato dos empregados em estabelecimentos de serviços de saúde
16.2. Segredo profissional
16.3. Conselhos Federal e Regional de Enfermagem
17. Lei do exercício profissional
18. Decreto que regulamenta a profissão
19. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem

Quarta parte - Clínica médica - Enfermagem

Capítulo I
Enfermagem em clínica médica
1. Introdução
Capítulo II
Sistema gastrintestinal
1. Conceito
2. Anatomia
3. Fisiologia
4. Fisiopatologia
4.1. Esofagite
4.2. Megaesôfago ou acalasia
4.3. Gastrite
4.4. Úlcera péptica (esôfago, estômago e duodeno)
4.5. Colecistite
4.6. Cirrose hepática
4.7. Pancreatite
4.8. Retocolite
5. Exames especiais
5.1. Endoscopia
5.2. Esofagogastroduodenoscopia (EDA)
5.3. Biópsia hepática
5.4. Laparoscopia (peritoneoscopia)
Capítulo III
Afecções cardiovasculares
1. Considerações gerais
2. Angina pectoris
3. Infarto agudo do miocárdio (IAM)
4. Endocardite – miocardite – pericardite
4.1. Endocardite
4.2. Miocardite
4.3. Pericardite
5. Insuficiência cardíaca congestiva
6. Hipertensão arterial
7. Arteriosclerose
Capítulo IV
Afecções hematopoéticas
1. Anemia
2. Distúrbios de coagulação
3. Leucemia
Capítulo V
Sistema respiratório
1. Conceito
2. Funções
3. Anatomia
4. Fisiologia
5. Infecções do sistema respiratório
6. Doenças do sistema respiratório superior
6.1. Resfriado comum e gripe
6.2. Faringite e amigdalite
6.3. Pneumonia
7. Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)
7.1. Bronquite
7.2. Enfisema pulmonar
7.3. Asma brônquica
8. Exames especiais
8.1. Broncoscopia
8.2. Espirometria (Teste de Função Pulmonar)
8.3. Gasometria
Capítulo VI
Sistema endócrino
1. Conceito
2. Síndromes endócrinas
3. Fisiologia
3.1. Glândula hipófise
3.2. Glândula tireoide
3.3. Glândula paratireoide
3.4. Glândula suprarrenal
3.5. Glândula pancreática
4. Fisiopatologia/distúrbios das glândulas
4.1. Glândula tireoide
4.2. Hipertireoidismo
4.3. Glândula pancreática
4.4. Insulinoterapia
4.5. Reação ou choque hipoglicêmico
4.6. Reação hiperglicêmica ou coma diabético
Capítulo VII
Afecções reumáticas
1. Doenças reumáticas
2. Artrite reumatoide
3. Lúpus eritematoso disseminado (LED)
Capítulo VIII
Afecções otorrinolaringológicas
1. Considerações gerais
2. Otite
3. Sinusite
4. Faringite
Capítulo IX
Afecções oftalmológicas
1. Considerações gerais
2. Conjuntivite
3. Catarata
4. Glaucoma
5. Higiene ocular
Capítulo X
Afecções neurológicas
1. Sistema nervoso cerebral, noções básicas de anatomia
1.1. O sistema nervoso cérebro-espinhal
1.2. Sistema nervoso periférico
2. Acidente vascular encefálico (AVE)
3. Paciente inconsciente
4. Traumatismo craniencefálico (TCE)
5. Traumatismo da medula espinhal
6. Meningites
7. Tumores intracranianos
8. Doença de Parkinson
9. Consequência de agressões sofridas pelo sistema nervoso central (SNC)
9.1. Hemiplegia
9.2. Paraplegia
10. Epilepsia
Capítulo XI
Meios de exploração do sistema nervoso
1. O exame neurológico
2. Exames complementares
2.1. Punção lombar e exame do líquido cefalorraquidiano
2.2. O exame neurológico dos olhos
2.3. Os exames radiológicos
2.4. Os exames elétricos
Capítulo XII
Tratamento das doenças do sistema nervoso
1. Noção geral
2. O cuidar em Enfermagem
3. Medicamentos
4. Reabilitação
Capítulo XIII
Sistema urinário
1. Conceito
2. Anatomia
3. Fisiologia
4. Fisiopatologia
4.1. Uretrite
4.2. Prostatite
4.3. Cistite
4.4. Pielonefrite
4.5. Glomerulonefrite difusa aguda (GNDA)
4.6. Síndrome nefrótica
4.7. Insuficiência renal aguda (IRA) e insuficiência renal crônica (IRC)
4.8. Terapia renal substitutiva
Capítulo XIV
Afecções neoplásicas
1. Considerações gerais

Quinta parte - Enfermagem cirúrgica e centro cirúrgico

Capítulo I
Enfermagem na clínica cirúrgica
1. Introdução
1.1. Cirurgia
2. Clínica cirúrgica
2.1. Características físicas da clínica cirúrgica
3. Especialidades cirúrgicas
4. Terminologia cirúrgica
5. Risco operatório
6. O paciente cirúrgico
6.1. Aspectos psicossociais e psicoespirituais
6.2. Fatores econômicos
6.3. Fatores políticos
6.4. Aspectos físicos
6.5. Diagnósticos de Enfermagem
7. Pré-operatório
8. Pós-operatório (PO)
Capítulo II
O processo de cuidar frente aos desconfortos e às complicações cirúrgicas
1. Complicações circulatórias
1.1. Hemorragia
1.2. Choque
1.3. Parada cardíaca
1.4. Tromboflebite
2. Complicações respiratórias
2.1. Pneumonia
2.2. Embolia pulmonar
3. Complicações da ferida
3.1. Infecção
3.2. Hematoma
3.3. Deiscência
3.4. Evisceração
4. Complicações urinárias
4.1. Retenção urinária
4.2. Infecção urinária
Capítulo III
Principais cirurgias
1. Cirurgias neurológicas
1.1. Craniotomia
1.2. Simpatectomia
2. Cirurgias oftálmicas
2.1. Facectomia
2.2. Trepanação córneo-esclerótica
3. Cirurgias otorrinolaringológicas
3.1. Cirurgias do ouvido
3.2. Cirurgias do nariz
3.3. Cirurgias das amígdalas e da laringe
4. Cirurgia no sistema endócrino
4.1. Tireoidectomia
5. Cirurgias no aparelho respiratório
5.1. Traqueostomia
5.2. Drenagem torácica
5.3. Toracotomia
6. Cirurgia no aparelho cardiovascular
6.1. Safenectomia
6.2. Circulação extracorpórea
6.3. Marca-passo cardíaco artificial
7. Cirurgias no aparelho digestivo
7.1. Cirurgias no esôfago
7.2. Cirurgias no estômago
7.3. Cirurgias no intestino delgado
7.4. Cirurgia no apêndice
7.5. Cirurgias no intestino grosso
7.6. Cirurgias anorretais
7.7. Cirurgia nas vias biliares
8. Cirurgia no baço
9. Cirurgias urológicas
9.1. Nefropexia
9.2. Nefrectomia
9.3. Pielolitotomia
9.4. Ureterostomia cutânea
9.5. Prostatectomia
9.6. Postectomia
10. Cirurgias ginecológicas
10.1. Histerectomia
10.2. Fechamento parcial da vagina
10.3. Salpingectomia e ooforectomia
10.4. Colpoperineoplastia
10.5. Mastectomia
11. Cirurgias ortopédicas
11.1. Artrodese, artroplastia e osteotomia
11.2. Gesso
11.3. Tração
12. Cirurgias endoscópicas
Capítulo IV
Introdução à Enfermagem em centro cirúrgico
1. Conceito
2. Localização
3. Características físicas
3.1. Elementos da unidade de centro cirúrgico
3.2. Sala de cirurgia
3.3. Equipamentos e materiais de uma sala de cirurgia
Capítulo V
Normas e rotinas do centro cirúrgico
1. Ética no centro cirúrgico (CC)
2. Membros da equipe cirúrgica
3. Técnicas usadas no centro cirúrgico
3.1. Preparo pré-operatório das mãos
3.2. Vestir avental
3.3. Calçar luvas
4. Posições para cirurgias
Capítulo VI
Atribuições do circulante em uma sala de operações
1. Precauções-padrão (PP)
2. Montagem de uma sala de cirurgia
3. Cuidados após cirurgia simples
4. Montagem de uma sala de operações contaminada
4.1. Antes do início da cirurgia contaminada
4.2. Depois da cirurgia contaminada
5. Precauções adicionais em Centro Cirúrgico
Capítulo
VII
Material instrumental
1. Material de diérese
2. Material de síntese
3. Fios usados em cirurgias 
Capítulo VIII
Recuperação pós-anestésica
1. Sala de recuperação
1.1. Controle de infecção na sala de recuperação
Capítulo IX
Esterilização e tipos de anestesias
1. Introdução
2. Esterilização
2.1. Esterilização pelo calor úmido
2.2. Esterilização pelo calor seco
2.3. Esterilização por produtos químicos
3. Tipos de anestesias
4. Riscos associados à reesteriliziação
Capítulo X
Funções do instrumentador
1. Antes da cirurgia
2. Durante a cirurgia
3. Após o término da cirurgia

Sexta parte - Materno-infantil – Enfermagem obstétrica

Capítulo I
Enfermagem obstétrica
1. Obstetrícia
2. Características da clínica obstétrica
3. Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM)
3.1. Objetivos específicos do programa
3.2. Ações do programa
Capítulo II
Programa de assistência integral à saúde da mulher
1. Noções gerais
2. Um breve diagnóstico sobre a saúde da mulher
3. Princípios para uma política de atenção integral à saúde da mulher, com qualidade e humanização
4. Diretrizes gerais
5. Objetivos programáticos
6. Conteúdos programáticos
7. Assistência clínico-ginecológica
8. Assistência pré-natal
9. Assistência ao parto e ao puerpério imediato
Capítulo III
Anatomia e fisiologia do sistema reprodutor feminino
1. Anatomia
1.1. Órgãos genitais externos
1.2. Órgãos genitais internos
1.3. Períneo
1.4. Anatomia obstétrica
2. Fisiologia do sistema reprodutor feminino
2.1. Infância
2.2. Puberdade
2.3. Idade adulta
2.4. Menopausa
3. Fecundação e nidação
Capítulo IV
Desenvolvimento embrionário e fetal
1. Noções gerais
2. Fase embrionária
3. Fase fetal
3.1. Principais características do desenvolvimento no período fetal
Capítulo V
Anexos do embrião e do feto
1. Conceituação
2. Placenta
3. Cordão umbilical
4. As membranas e o líquido amniótico
Capítulo VI
Gravidez
1. Diagnóstico de gravidez
1.1. Sinais e sintomas presuntivos de gravidez
1.2. Sinais de probabilidade
1.3. Sinais positivos de gravidez
2. Modificações do organismo materno
2.1. Modificações sistêmicas
2.2. Modificações no aparelho reprodutor
Capítulo VII
Assistência pré-natal
1. Definição e considerações gerais
2. Práticas educativas
2.1. Coordenação do grupo de gestantes
2.2. Formação dos grupos de gestantes
2.3. Função do coordenador
2.4. Fisiologia feminina
2.5. Desenvolvimento fetal
2.6. Mudanças corporais e emocionais na gestação
2.7. Visão geral do trabalho de parto
2.8. Pós-parto
2.9. Amamentação
3. Calendário de consultas
4. Consultas e roteiro de atendimento
5. Procedimentos
5.1. Cálculo da idade gestacional (IG)
5.2. Altura uterina (AU)
5.3. Cálculo da data provável do parto (DPP)
5.4. Avaliação do estado nutricional
5.5. Controle da pressão arterial (PA)
5.6. Verificação da presença de edema
5.7. Ausculta dos batimentos cardiofetais (BCF)
5.8. Exames laboratoriais
5.9. Vacinação antitetânica
5.10. Assistência odontológica
6. Cuidados de Enfermagem no pré-natal
7. Fatores de risco na gravidez
Capítulo VIII
Câncer de mama
1. Noção geral
2. Epidemiologia do câncer de mama
3. Ações de controle do câncer de mama
3.1. Etapas do autoexame
3.2. Exame clínico das mamas
3.3. Exames complementares
Capítulo IX
Câncer cervicouterino
1. Noções gerais
2. Faixa etária
3. Epidemiologia do câncer cervicouterino
4. Ações de controle do câncer cervicouterino
4.1. Colposcopia
4.2. Teste de Schiller
4.3. Histopatologia
4.4. Controle, seguimento e tratamento
Capítulo X
Admissão da parturiente e relação útero-fetal
1. Noções gerais
2. Relação útero-fetal
Capítulo XI
Assistência de Enfermagem no parto normal com internação
1. Noções gerais
2. Admissão
3. Hospitalização
3.1. Períodos clínicos do parto
3.2. Mecanismo do parto
3.3. Distocias
3.4. Cuidados de Enfermagem durante o parto
4. Assistência de Enfermagem nos partos com intervenção
4.1. Cesariana
4.2. Fórceps
4.3. Vácuo
Capítulo XII
Complicações mais comuns na gravidez e no parto
1. Abortamento
2. Gravidez ectópica
3. Hiperemese gravídica
4. Mola hidatiforme
5. Alterações no volume do líquido amniótico
5.1. Poli-hidiâmnio
5.2. Oligo-hidiâmnio
6. Toxemia gravídica
7. Descolamento prematuro de placenta
8. Placenta prévia
9. Amniorexe prematura
10. Trabalho de parto prematuro
Capítulo XIII
Assistência de Enfermagem no puerpério
1. Puerpério
1.1. Complicações no puerpério
1.1.1. Hemorragias
1.1.2. Ingurgitamento mamário
1.1.3. Fissuras do mamilo
1.1.4. Mastites
1.1.5. Infecção puerperal
1.1.6. Deiscência de sutura
1.1.7. Flebite

Sétima parte - Materno-infantil – Enfermagem neonatal e pediátrica

Capítulo I
Assistência de Enfermagem ao recém-nascido normal
1. Características anatômicas
2. Características fisiológicas
3. Cuidados com o recém-nascido (RN) na sala de partos
4. Cuidados de Enfermagem na sala de atendimento ao RN
5. Cuidados de Enfermagem na Unidade de Internação Neonatológica (UIN)
6. Importância do aleitamento materno
Capítulo II
Recém-nascido prematuro
1. Noções gerais
2. Incubadora
3. Fototerapia
4. Recém-nascido de alto risco
Capítulo III
Berçário
1. Área física do berçário
2. Características
3. Pessoal
4. Alojamento conjunto
Capítulo IV
Assistência à criança sadia
1. Políticas de saúde da criança
2. Alguns aspectos da morbimortalidade no Brasil
2.1. A situação da criança no Brasil
3. Direitos da criança
3.1. Declaração dos Direitos Humanos
3.2. Estatuto da Criança e do Adolescente
4. Assistência à saúde da criança
Capítulo V
Introdução à Enfermagem Pediátrica
1. Conceito e histórico de Enfermagem Pediátrica
2. Conceitos básicos na assistência à saúde da criança
Capítulo VI
Acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento normal da criança (CD)
1. Crescimento
2. Desenvolvimento
3. Fatores que interferem no crescimento e no desenvolvimento
4. Avaliação do crescimento e do desenvolvimento (CD)
5. Dados biométricos
5.1. Peso
5.2. Estatura
5.3. Perímetro cefálico (PC)
5.4. Perímetro torácico
5.5. Perímetro abdominal
6. Programa de acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento (CD)
Capítulo VII
A criança e algumas necessidades
1. Noções gerais
2. Estimulação ambiental
3. Recreação
4. Higiene diária
4.1. Higiene corporal
4.2. Troca de fraldas
4.3. Pesagem diferencial das fraldas
4.4. Higiene oral
5. Vestuário
6. Conforto e postura
7. Sono na infância
8. Medos
9. Mentiras
10. Controle das eliminações
11. Curiosidade sexual
12. Hábitos a serem abandonados espontaneamente pela criança
Capítulo VIII
Manutenção das condições vitais
1. Noções gerais
1.1. Medidas para a verificação dos sinais vitais
2. Temperatura corporal
2.1. Febre (pirexia/hipertermia)
2.2. Hipotermia
3. Respiração
4. Pulso e frequência cardíaca
4.1. Locais para verificação de pulso nas crianças
5. Pressão arterial (PA) ou tensão arterial (TA)
Capítulo IX
Alimentação na infância
1. Noções gerais
2. Aleitamento materno
2.1. O declínio do aleitamento materno
2.2. Iniciativas para o aumento do aleitamento materno
2.3. Anatomia e fisiologia da glândula mamária feminina e da lactação
2.4. Esclarecimentos sobre o aleitamento materno
2.5. Vantagens do aleitamento materno
2.6. O ato de amamentar
2.6.1. Técnicas
2.7. Resolução das dificuldades e dos problemas mais comuns durante a amamentação
2.8. Composição do leite materno
2.9. Desmame precoce e relactação
2.10. Amamentação e planejamento familiar
3. Alimentação artificial
3.1. Conceito de desmame
3.2. Princípios do desmame
3.3. Alimentação da criança
3.3.1. Alimentação em crianças não amamentadas ao seio
3.4. Princípios dietéticos para a recuperação nutricional em nível ambulatorial
Capítulo X
Programa Nacional de Imunização (PNI)
1. Conceito
2. Programa nacional de imunização (PNI)
3. Tipos de imunização
4. Aspectos imunológicos
4.1. Fatores inerentes à vacina
4.2. Fatores inerentes ao organismo que recebe vacina
4.3. Mecanismos básicos da resposta imunológica
5. Contraindicações gerais à vacinação
5.1. Adiamento da vacinação
5.2. Alteração na faixa etária para início da vacinação contra febre amarela
Capítulo XI
Assistência à criança hospitalizada
1. Características gerais de uma unidade de internação pediátrica
2. Características dos recursos humanos em pediatria
3. Admissão da criança na unidade de internação
4. Alta da criança
Capítulo XII
A hospitalização e seus efeitos sobre a criança
1. Noções gerais
2. Características e necessidades psicossociais da criança
2.1. Recém-nascido e lactente
2.2. Pré-escolar
2.3. Escolar
2.4. Adolescente
3. Como lidar com os agravos que podem surgir da hospitalização da criança e do adolescente
Capítulo XIII
Administração de medicamentos em pediatria
1. Noções gerais
2. Via oral
3. Administração tópica
4. Administração por via ocular
5. Administração por via nasal
6. Administração por via otológica
7. Administração por via retal
8. Administração por via cutânea
9. Administração parenteral de medicamentos
10. Administração pela via intradérmica (ID)
11. Administração pela via subcutânea (SC)
12. Administração pela via intramuscular (IM)
13. Administração pela via endovenosa (EV)
Capítulo XIV
Procedimentos relativos às vias aéreas superiores e gavagem
1. Aspiração das vias aéreas superiores (VAS)
2. Vaporização
3. Oxigenoterapia
4. Nebulização – aerossolterapia
Capítulo XV
Exames em pediatria
1. Coleta de material para exames laboratoriais
1.1. Urina
1.2. Fezes
1.3. Sangue
1.4. Exame do escarro
2. Exames radiológicos
2.1. Eletroencefalograma (EEG)
2.2. Eletrocardiograma (ECG)
Capítulo XVI
Intercorrências patológicas mais frequentes na criança
1. Dermatológicas
1.1. Dermatite das fraldas (ou amoniacal)
1.2. Monilíase oral (candidíase oral)
1.3. Escabiose
1.4. Pediculose
1.5. Impetigo
2. Urinárias
2.1. Infecção do trato urinário
2.2. Síndrome nefrótica
2.3. Glomerulonefrite difusa aguda (GNDA)
3. Septicemia
4. Anomalias congênitas
5. Atresia de esôfago
6. Imperfuração anal
7. Hipospádia
8. Extrofia vesical
9. Criptorquidia
10. Hidrocefalia
11. Espinha bífida
12. Cardiopatias
12.1. Insuficiência cardíaca congestiva (ICC)
12.2. Cateterização cardíaca
Capítulo XVII
Distúrbios hidreletrolíticos
1. Definição
2. Vômitos
3. Diarreia
4. Desidratação e terapia de reidratação oral
4.1. Fatores predisponentes à desidratação
4.2. Causas clínicas da desidratação
4.3. Classificação da desidratação
4.4. Avaliação do grau de desidratação
4.5. Terapia de reidratação oral (TRO)
Capítulo XVIII
Deficiências nutricionais
1. Desnutrição
2. Classificação da desnutrição
3. Processo evolutivo da desnutrição
4. Desnutrição de 3.º grau

Oitava parte - Saúde mental

Capítulo I
Saúde mental
1. História da Psiquiatria
2. Assistência psiquiátrica no Brasil e Reforma Psiquiátrica
2.1. Reforma Psiquiátrica
2.1.1. Lei n. 10.216/2001 – Reforma Psiquiátrica
2.2. Centro de Atenção Psicossocial (CAPS)
2.3. Equipe multiprofissional e cuidados de Enfermagem em saúde mental
Capítulo II
Psicopatologia
1. Noções gerais
Capítulo III
Transtornos mentais
1. Noções gerais
1.1. Transtornos neuróticos
1.1.1. Transtorno de ansiedade
1.1.2. Transtorno de ansiedade generalizada
1.1.3. Fobias
1.1.4. Transtorno do pânico
1.1.5. Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
2. Transtornos psicóticos
2.1. Esquizofrenia
3. Transtornos Afetivos (CID-10)
3.1. Transtorno bipolar do humor
3.1.1. Mania
3.1.2. Depressão
4. Dependência química
4.1. Alcoolismo
4.1.1. Os perigos do álcool
4.1.2. Causas do alcoolismo
4.1.3. Problemas clínicos e complicações psiquiátricas no alcoolista
5. Deficiências mentais
Capítulo IV
Dados gerais sobre tratamentos psiquiátricos
1. Noções gerais
2. Abordagem psicoterápica
2.1. Psicoterapia
2.2. Terapêuticas que contribuem para a psicossocialização
3. Tratamentos biológicos
3.1. Psicofármacos
3.2. Terapêuticas por choque

Nona parte - Enfermagem em saúde pública

Capítulo I
Conceito, origem e evolução da saúde pública no Brasil
1. História natural da doença
2. Níveis de prevenção
3. Conceito de saúde
4. Conceito de saúde pública
5. Objetivos da saúde pública
6. Origem da saúde pública
7. Evolução da saúde pública no Brasil
8. Política e sistemas de saúde
9. O sistema de saúde no Brasil
9.1. O porquê do Sistema Único de Saúde
9.2. Princípios e diretrizes do SUS
10. Controle social – Lei n. 8.142/90
11. Normas Operacionais Básicas (NOB)
12. A Emenda Constitucional n. 29/2000
13. Norma Operacional de Assistência à Saúde (NOAS)
14. Pactos pela saúde
14.1. Pacto pela saúde e as mudanças marcantes
14.2. As três dimensões do pacto pela saúde
Capítulo II
Enfermagem e o cuidar em saúde pública
1. Enfermagem e a saúde pública
1.1. Equipe de Enfermagem
1.2. As ações de Enfermagem em saúde pública
1.3. Educação em saúde
1.4. Visita domiciliar
1.5. Objetivos
2. Atenção básica: políticas e ações de saúde
2.1. Responsabilidades das esferas gestoras em atenção básica
2.1.1. Federal
2.1.2. Estadual
2.1.3. Municipal
2.2. O controle da hipertensão arterial e do Diabetes Mellitus
2.2.1. O controle da hipertensão arterial
2.2.2. O controle do Diabetes Mellitus
2.2.3. Atividades do Técnico em Enfermagem
2.3. Atenção à saúde da criança
2.3.1. Ações exercidas por Técnicos em Enfermagem
2.4. Atenção à saúde do adolescente
2.4.1. Atividades do programa
2.5. Atenção à saúde da mulher
2.5.1. Objetivos específicos
2.5.2. Ações exercidas por Técnicos em Enfermagem
2.6. Atenção à saúde do idoso
2.6.1. Ações exercidas por Técnicos em Enfermagem
2.7. Atenção à saúde bucal
2.7.1. Atividades do Técnico em Enfermagem
2.8. Estratégia da Saúde da Família (ESF)
2.8.1. Unidades de Saúde da Família (USF)
2.8.2. Quantidade de pessoas que devem ser atendidas por cada ESF
2.8.3. Componentes de uma ESF
2.8.4. A saúde bucal faz parte da saúde da família
2.8.5. Instalações e equipamentos na USF
2.8.6. Atribuições de cada membro das ESFs
2.9. Atenção à hanseníase e tuberculose
Capítulo III
Doenças infecciosas e parasitárias
1. Noções gerais
2. Doenças sexualmente transmissíveis
2.1. Prevenção
2.2. Cancro mole
2.3. Herpes genital
2.4. Sífilis
2.5. Infecção por Trichomonas
2.6. Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids)
2.7. Codiloma acuminado (HPV)
2.8. Infecção por clamídia
2.9. Gonorreia
3. Coqueluche
4. Cólera
5. Dengue
6. Difteria
7. Doença de Chagas
8. Esquistossomose mansônica
9. Febre tifoide
10. Hanseníase
11. Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA)
12. Leishmaniose Visceral (Calazar)
13. Malária
14. Parasitoses intestinais e helmintíases intestinais
15. Poliomielite
16. Raiva
17. Sarampo
18. Tétano acidental
19. Tuberculose
20. Hepatites virais

Décima parte - Nutrição aplicada à Enfermagem

Capítulo I
Conceitos e controvérsias em alimentação e nutrição
1. A ciência da nutrição
2. Alimentação
2.1. Fases da alimentação
3. Alimentos
3.1. Características dos alimentos
4. Nutrientes
5. Novos conceitos sobre as necessidades nutricionais e ingestão diária de referência (DRI)
6. O desafio de escolher bem os alimentos: desenvolvendo hábitos alimentares
Capítulo II
Nutrientes: os elementos vitais para o funcionamento do corpo humano
1. Carboidratos
1.1. Classificação dos carboidratos
1.1.1. Monossacarídeos
1.1.2. Dissacarídeos
1.1.3. Oligossacarídeos
1.1.4. Polissacarídeos
2. Proteínas
2.1. Características estruturais
2.2. Entendendo o que é desnaturação proteica
2.3. Classificação das proteínas e dos aminoácidos
3. Lipídios
3.1. Funções dos lipídios
3.2. Classificação dos lipídios e dos ácidos graxos
3.3. Entendendo o que é gordura trans
4. Fibras dietéticas
4.1. Classificação das fibras
4.2. Funções das fibras no organismo
5. Água: alimento ou nutriente?
5.1. Funções primordiais da água
5.2. Fontes de água
5.3. Quando ocorre a desidratação
6. Principais minerais para o corpo humano
7. Vitaminas: todas são essenciais
Capítulo III
Os grupos de alimentos equivalentes e as fontes dos nutrientes – princípios da alimentação saudável
1. Grupos e guias alimentares
2. Como planejar uma alimentação saudável
Capítulo IV
Aplicando os princípios da alimentação saudável nos diversos ciclos da vida
1. Gestação
1.1. Controlando o ganho de peso gestacional
1.2. Recomendações de nutrientes na gestação
1.3. Alterações comuns na gestação relacionadas com alimentação e estilo de vida
1.4. Complicações na gravidez provocadas por má alimentação
2. Lactação
2.1. Recomendações nutricionais na lactação
2.2. A importância do aleitamento materno para a mãe (lactante)
2.3. A importância do aleitamento materno para o filho (lactente)
2.4. A importância do aleitamento materno na saúde pública – o banco de leite humano
3. Alimentação de 6 meses a 1 ano de vida – fase especial do desmame
4. Alimentação na infância – de 1 a 10 anos de idade
4.1. Recomendações nutricionais na infância
5. Alimentação na adolescência – de 10 a 20 anos de idade
6. Alimentação na fase adulta inicial: dos 20 aos 39 anos de idade
7. Alimentação na fase adulta intermediária: dos 40 aos 64 anos de idade
8. Alimentação na fase adulta posterior: acima dos 65 anos de idade
Capítulo V
Entendendo sobre as classificações de dietas hospitalares
1. As vias de suporte nutricional para o paciente hospitalizado
2. Classificação das dietas hospitalares de acordo com a consistência
3. Classificação das dietas hospitalares de acordo com o teor de nutrientes que devem ser excluídos, reduzidos ou aumentados
Capítulo VI
Conhecendo os fundamentos dietoterápicos nas patologias mais comuns
1. Dietoterapia básica nas afecções cardiovasculares
2. Doenças da boca, estômago e intestino
2.1. Inflamação dos tecidos
2.2. Problemas dentários
2.3. Doenças de deglutição
2.4. Doença do refluxo gastroesofágico
2.5. Úlcera péptica
2.6. Diarreias
2.7. Constipação
3. Doenças no fígado
4. Doenças renais
Capítulo VII
O papel da Enfermagem na saúde nutricional de indivíduos ou grupos
1. Cuidados da Enfermagem na nutrição oral
2. Cuidados da Enfermagem na nutrição enteral e parenteral
3. A importância da integração da equipe multiprofissional

Décima primeira parte - Microbiologia e parasitologia

Capítulo I
A importância da microbiologia e da parasitologia
1. Introdução
Capítulo II
Características gerais de cada grupo de microrganismos e parasitas
1. Bactérias
1.1. Tamanho, forma e arranjo das células bacterianas
1.2. Estrutura da célula bacteriana
1.2.1. Parede celular
1.2.2. Membrana plasmática
1.2.3. Citoplasma
1.2.4. Área nuclear
1.2.5. Plasmídeos
1.2.6. Ribossomos
1.2.7. Inclusões
1.2.8. Endosporos
1.2.9. Cápsula
1.2.10. Flagelos
1.2.11. Fímbrias e pili
1.3. Crescimento bacteriano
1.3.1. Fatores físicos
1.3.2. Fatores químicos
1.4. Metabolismo bacteriano
1.5. Nomenclatura bacteriana
2. Fungos
2.1. Estrutura da célula fúngica
2.2. Morfologia
2.3. Adaptações nutricionais
2.4. Importância dos fungos
2.5. Doenças causadas por fungos
3. Vírus
3.1. Estrutura viral
3.1.1. Ácido nucleico
3.1.2. Capsídeo
3.1.3. Envelope
3.2. Morfologia
3.3. Tamanho dos vírus
3.4. Replicação viral
3.4.1. Adsorção
3.4.2. Penetração
3.4.3. Síntese dos componentes virais
3.4.4. Maturação
3.4.5. Liberação
4. Protozoários
4.1. Fases de vida
4.2. Características fisiológicas
4.2.1. Nutrição
4.2.2. Excreção
4.2.3. Respiração
4.2.4. Locomoção
4.3. Classificação dos protozoários
5. Helmintos
5.1. Características dos parasitas helmintos
5.2. Fases de vida
5.3. Filos de importância médica
5.3.1. Platelmintos
5.3.2. Nematodas
Capítulo III
Doenças microbianas – conceitos, princípios e mecanismos de patogenicidade
1. Introdução
2. Infecção e doença
3. Patógenos, patogenicidade e virulência
4. Microbiota normal
5. Doenças infecciosas
5.1. Conceitos
5.2. Processo de doença
5.2.1. Exposição ao patógeno – portas de entrada
5.2.2. Formas de transmissão de doenças
5.3. Mecanismo de desenvolvimento da doença
5.3.1. Como as bactérias causam doenças
5.3.2. Como os vírus causam doenças
5.3.3. Como os fungos, os protozoários e os helmintos causam doenças
Capítulo IV
Doenças infecciosas de interesse para a saúde pública
1. Doenças infecciosas causadas por bactérias
1.1. Botulismo
1.2. Brucelose
1.3. Cancro mole
1.4. Cólera
1.5. Coqueluche
1.6. Difteria
1.7. Doença diarreica aguda
1.8. Doença meningocócica
1.9. Donovanose
1.10. Febre tifoide
1.11. Gonorreia
1.12. Hanseníase
1.13. Leptospirose
1.14. Linfogranuloma venéreo
1.15. Meningite por Haemophilus influenzae
1.16. Meningite tuberculosa
1.17. Shigelose
1.18. Sífilis
1.19. Tétano
2. Doenças infecciosas causadas por vírus
2.1. Aids
2.2. Dengue
2.3. Febre amarela
2.4. Hepatite A
2.5. Hepatite B
2.6. Herpes simples
2.7. Infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV)
2.8. Rubéola
2.9. Sarampo
2.10. Varicela
3. Doenças infecciosas causadas por fungos
3.1. Candidíase
3.2. Coccidioidomicose
3.3. Criptococose
3.4. Histoplasmose
3.5. Paracoccidioidomicose
4. Doenças causadas por protozoários
4.1. Amebíase
4.2. Doença de Chagas
4.3. Giardíase
4.4. Malária
4.5. Toxoplasmose
5. Doenças infecciosas causadas por helmintos
5.1. Ancilostomíase
5.2. Ascaridíase
5.3. Enterobíase
5.4. Teníase/cisticercose
Capítulo V
O papel do profissional de Enfermagem (Técnico) no controle de microrganismos
1. Procedimentos técnicos
1.1. Higienização e cuidado com as mãos
1.2. Uso de luvas
1.3. Uso de aventais
1.4. Uso de máscaras
1.5. Uso de óculos de proteção
1.6. Uso de gorros
1.7. Desinfecção
1.8. Esterilização
1.9. Antissepsia
1.10. Quimioterapia antimicrobiana
2. Procedimentos educacionais
2.1. Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)

Verificação de aprendizagem

Gabarito

Referências

Glossário